Foto: Reprodução / O Sul

A versão de Claudia Cruz sobre seus gastos, divulgada na semana passada, foi combinada com seu esposo, o presidente afastado da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). De acordo com a coluna Radar Online, de Veja, os advogados do casal estavam convictos de que uma prisão preventiva poderia ser decretada a qualquer momento e costuraram a explicação, segundo a qual os gastos no cartão de crédito de Claudia eram autorizados pelo parlamentar. A versão, no entanto, compromete aquela usada por Cunha para as contas que o Ministério Público Federal atribui a ele na Suíça. Ainda de acordo com a publicação, Cunha continuará sustentando que, a despeito do que a esposa disse em Curitiba, as contas não eram dele, mas de um trust. A defesa não descarta uma possível prisão preventiva.