Sepultado o corpo de Márcio Eliano, artista uauaense que morreu vítima de acidente automobilístico.

O cantor de vaquejada Márcio Eliano, conhecido popularmente como Dedé, morreu na tarde sábado, 31, enquanto era regulado para Salvador, após se envolver em um acidente automobilístico na estrada que dá acesso ao Distrito de Lagoa do Pires, próximo à fazenda Volta do Rabelo, no interior de Uauá – BA, na noite de sexta-feira,30.

Dedé estava sozinho no veículo, uma motocicleta, quando ocorreu o sinistro. Segundo pessoas que chegaram ao local, após transeuntes informar sobre o que acabam de presenciar, o corpo de um homem caído no chão, porém ainda apresentava sinais vitais.

Conforme o portal uauá.com.br apurou, moradores identificaram que a vítima estava de bruços, tinha perdido muito sangue, respirava, mas não mexeram no corpo e acionaram imediatamente a SAMU que chegou minutos depois. Ainda não se sabe ou não foi possível apontar as causas do acidente.

Centenas de pessoas acompanharam o cortejo do corpo até o seu sepultamento que foi realizado no cemitério local, na tarde deste Domingo, 01, e desde o seu velório o clima era de comoção.

Ferinha Francisco confirmou ao nosso site que foi um dos primeiros artistas a “abrir espaço” em seus shows, para Marcio Eliano, que pouco tempo depois, graças a sua irreverência que agradava a muitos, “estourou” na região e os primeiros passos para o sucesso foram o lançamento do seu 1º CD, e logo já se preparava para lançar mais novidades. “Era um cara muito divertido, com ele, as nossas viagens para os shows, nos quais ele me acompanhava, eram super legais e nos divertíamos muito”. Contou, emocionado, Ferinha.

O primo de Márcio, Neto Ribeiro, disse: Como forma de reconhecimento, venho agradecer toda entrega as pessoas que lutaram pela vida do meu Primo Dedé. Mesmo com as dificuldades todos não desistiram de lutar, em especial, quero agradecer a: Dr. Wilson e Dr. Dany e suas enfermeiras, que lutaram até o último minuto para salvar a vida do Dedé

Quero agradecer mais ainda, ao dep. Estadual Zó, o pré candidato Isaac Carvalho, Aline Ribeiro (secretária de saúde e do Prefeito em exercício, Lindomar Dantas.

Obrigado à todos, e que Deus lhes devolvam em dobro todo profissionalismo e amor empregado para salvar a vida do nosso eterno Dedé!”. Finalizou, (FAUSTINO NETO).

Adailton Santana, radialista e publicitário, lembra de como Márcio era uma simplicidade em pessoa e não esquece do carinho e reconhecimento. “Márcio, mais um dos vagalumes lutadores desta cidade, era um dos poucos artistas da cidade que tinha a recíproca verdadeira para com nós, profissionais o rádio e da imprensa”. – No lançamento do cd dele no ano passado, não esqueço jamais a forma tão suplicante na qual ele me disse: “Quero sua participação junto comigo, no lançamento do meu CD que acontece no Bridas, quero sua locução lá”. Foi um dos momentos que mais vem na minha mente, porém, outros, em especial, marca muito, sua participação em evento da sua localidade, carrancudo, no ano passado, foi um dos últimos shows no qual apresentei o vaqueiro, pontuou, Adailton Santana.

Sua morte foi bastante repercutida em redes sociais. Márcio parte e deixa um legado. Em tão pouco tempo, seu grupo de forro “Zero Boi”, se tornou uma das características do artista em vários locais da cidade, e por muito tempo, sua voz grave ainda irá ecoar pelo mundo. Para tanto, as ferramentas estão aí, rádio, internet, e, principalmente, amigos e colaboradores que farão ficar eternizada a “Marca do vaqueiro” uauense.