Luis Miranda: “Não imputamos nenhum crime ao presidente, quem fez isso foi a CPI”

Luis Miranda: “Não imputamos nenhum crime ao presidente, quem fez isso foi a CPI”

Logo no início do programa, Miranda falou sobre a reunião que ele denunciou as irregularidades no contrato de compra da Covaxin. A primeira coisa que explicou é que não é crime quando uma pessoa grava uma reunião que ela mesmo participa. O deputado até aproveitou para dar um conselho para o presidente.

Video player from: YouTube (Privacy PolicyTerms)

"Eu escutei hoje uma declaração do presidente e ele deveria buscar melhor sua assessoria jurídica, porque quando você faz parte da reunião em si, gravar não é crime. Isso está na nossa Legislação. Isso serve inclusive para se proteger”, disse Miranda.

Segundo entrevistado, fica claro que as denúncias são verdadeiras após a quantidade de ameaças e retaliações que recebeu, e ainda lembrou que ele e seu irmão não imputaram nenhum crime ao presidente.

Leia também: "Prevaricação se aplica a servidor público, não a mim", diz Bolsonaro

“Eles [os opositores] dão a entender que denunciar corrupção na saúde, na compra da vacina e com tantas vidas sendo perdidas é um crime. Em momento nenhum imputamos crime ao presidente. Quem levantou a possibilidade de crime foi a CPI”, explicou.

Assista ao trecho completo:

Participaram da bancada de entrevistadores Leandro Demori, editor-executivo do The Intercept Brasil; Constança Rezende, repórter da Folha de S. Paulo; Luiz Vassallo, repórter da Crusoé; Malu Gaspar, colunista do Jornal O Globo; Flavio Costa, escritor e coordenador do núcleo investigativo do portal UOL.

Assista ao programa na íntegra:

O programa vai ao ar às 22h, na TV Cultura, no site da emissora, no canal do YouTube, no Dailymotion, nas redes sociais Twitter e Facebook.