Portal Uauá
Uauá site da cidade

Correios diz que entregas não estarão comprometidas e Correios continuam operando em todo o país

Correios diz que entregas não estarão comprometidas e Correios continuam operando em todo o país

OUVIR BAIXAR

Os Correios continuam operando em todo o país. A rede de atendimento está aberta ao público, com a oferta dos serviços e produtos da empresa. A paralisação parcial dos empregados dos Correios não afeta os serviços de atendimento da estatal. A grande maioria dos 99 mil empregados prossegue trabalhando regularmente.

Nas agências, serviços como Certificado Digital, consulta Serasa, Achados e Perdidos, e agora, mais recentemente, a consulta ao Auxílio Emergencial, estão disponíveis à população. A postagem de cartas e encomendas, inclusive SEDEX e PAC, continua sendo realizada e as entregas estão ocorrendo em todos os municípios.

A empresa já colocou em prática um Plano de Continuidade de Negócios para minimizar os impactos à população. Medidas como o deslocamento de empregados administrativos para auxiliar na operação, remanejamento de veículos e a realização de mutirões estão sendo adotadas.

Com o respaldo da Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas Estatais e do Ministério da Economia, os Correios buscam zelar pelo reequilíbrio financeiro da empresa. É necessário repensar a concessão de benefícios que extrapolem a prática de mercado e a legislação. Assim, será possível alcançar a sustentabilidade da empresa e manter os empregos.

Os Correios reafirmam que nenhum direito foi retirado. Apenas foram adequados os benefícios que extrapolavam a CLT e outras legislações, para alinhar a estatal ao que é praticado no mercado. A diminuição de despesas prevista com as medidas é da ordem de R$ 600 milhões anuais. As reivindicações dos sindicatos, por sua vez, custariam aos Correios quase R$ 1 bilhão no mesmo período. Ou seja, dez vezes o lucro obtido em 2019. A proposta dos sindicatos é impossível de ser atendida.

A empresa garante que os vencimentos dos empregados seguem resguardados. A título de comparação, a diferença entre os contracheques do mês de julho, antes do ajuste dos benefícios, e de agosto, quando foram aplicados os novos valores, foi de menos de R$ 50,00, para 94% dos empregados.

Vale ressaltar que os trabalhadores continuam tendo acesso ao auxílio-creche. Os tíquetes refeição e alimentação também permanecem sendo pagos, de acordo com a jornada de cada empregado. Estão mantidos também, a carteiros e atendentes, os respectivos adicionais de Distribuição/Coleta, Tratamento e Atendimento.

O assessor especial da presidência dos Correios, Aurélio Maduro, enfatiza o momento atual em meio à pandemia:

— É importante lembrar que qualquer paralisação agrava ainda mais a debilitada situação econômica da empresa. Diante deste cenário, a instituição confia no compromisso e responsabilidade de seus empregados com a sociedade, com os empreendedores e com o país, para trazer o mínimo de prejuízo possível para a população, especialmente neste momento de pandemia, em que os Correios são ainda mais essenciais para o Brasil.

De Brasília, Ronaldo Gonsalves

Participe do grupos no WhatsApp
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceito Leia mais

Privacidade& Política de Cookies