Portal Uauá
Uauá site da cidade

Ações da Petrobras despencam e Bolsa cai 0,64%; dólar sobe na semana

Imagem: Tânia Rêgo/Agência Brasil

As ações da Petrobras puxaram a queda de hoje do Ibovespa, principal indicador da Bolsa de Valores brasileira. O índice caiu 0,64% aos 118.430,53 pontos. Na semana, acumulou queda de 0,84%. Os papéis preferenciais da estatal, que são os mais negociados, caíram 6,63% no dia, enquanto as ações ordinárias da Petrobras, com direito a voto, tiveram perda de 7,92%.

O movimento ocorre um dia após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) ameaçar interferir no comando da empresa estatal. Já o dólar comercial fechou hoje (19) em queda de 1,02% ante o real, cotado a R$ 5,385 na venda. Apesar do resultado no dia, a moeda norte-americana acumulou alta de 0,21% na semana.

O valor do dólar divulgado diariamente pela imprensa, inclusive o UOL, refere-se ao dólar comercial. Para quem vai viajar e precisa comprar moeda em corretoras de câmbio, o valor é bem mais alto. Ameaças na Petrobras agitam mercado..

O dólar subiu e a Bolsa caiu em meio a ruídos domésticos sobre os preços dos combustíveis e possíveis interferências na Petrobras por parte do governo, com sinais de avanços na agenda do Congresso e um arrefecimento da divisa norte-americana no exterior elevando os ânimos dos investidores. Bolsonaro anunciou na noite de quinta-feira que vai zerar em definitivo os impostos federais sobre o gás de cozinha e por dois meses os que incidem sobre o diesel, neste caso, com o objetivo de “contrabalançar” o reajuste que considerou “excessivo” da Petrobras de 15% nesse combustível.

O presidente também afirmou em transmissão na quinta-feira pelas redes sociais que “obviamente” vai ter consequência a fala do presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, que dias atrás havia dito que a ameaça de greve de caminhoneiros não era problema da Petrobras.

Os agentes dos mercados receberam a notícia de forma negativa, uma vez que essa fala “renova preocupações que já existiam sobre a autonomia da estatal”, disse à Reuters Thayná Vieira, economista da Toro Investimentos. “Bolsonaro já havia falado que não interferiria na Petrobras, mas seus comentários geraram incerteza.”.

Além disso, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), afirmou na quinta-feira que a chamada PEC Emergencial será pautada no plenário da Casa na próxima semana e que o parecer da proposta deve ser divulgado até a segunda-feira. O governo sugeriu, em reunião de líderes do Senado na véspera, reduzir a amplitude da PEC de forma a facilitar sua votação na Casa na próxima semana e informou a intenção de editar uma medida provisória sobre o auxílio emergencial assim que ela for aprovada.

“Tivemos sinalização do (presidente da Câmara dos Deputados Arthur) Lira e Pacheco de que o foco permanece em torno da PEC Emergencial. Sua votação tem intenção de cortar despesas para liberar medidas em torno do auxílio emergencial”, explicou Vieira. “A reiteração de compromisso com a agenda gera otimismo”, afirmou. Já no exterior, o foco dos investidores globais continuava nos Estados Unidos, à medida que aguardavam novidades sobre um pacote de resgate de 1,9 trilhões de dólares, proposto pelo presidente Joe Biden, em discussão no Congresso.

O Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) reforçou que a política monetária continuará a fornecer suporte “poderoso” à economia até que a recuperação da crise gerada pela pandemia de covid-19 seja concluída. (Com Reuters)…

Participe do grupos no WhatsApp
Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceito Leia mais

Privacidade& Política de Cookies