Uauá (Ba): Falta d`água, não pagamento do mês de dezembro e outros assuntos repercutem na imprensa do estado.  

O município de Uauá, na região norte foi destaque na imprensa do estado nos primeiros dias dessa semana, por diversos problemas que a população enfrenta – sem abastecimento de água regular e o não pagamento dos servidores no mês de dezembro do ano passado.

Diante de diversos questionamentos, a falta d`água nas residências que ultrapassa uma semana sem abastecimento e os profissionais da educação que não receberam parte do décimo terceiro dos salários foram temas de notícias na Bahia.

Sobre a falta d`água, representante da empresa a nível estadual falou à imprensa que a autarquia tem investido em melhoramento da rede de distribuição em todo estado e também destacou que o momento de calor aumenta ainda mais os problemas enfrentados pelos moradores.

Já sobre os profissionais da educação, cerca de 400 (quatrocentos) servidores da pasta não receberam seus pagamentos no mês de dezembro de 2020, de acordo com a Coordenadora da APLB Sindicato Uauá, Nanci Rodrigues.     

A gestão passada disse que os recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação   –  Fundeb , não foram suficientes para realizar o pagamento e que o município retirou da fonte ordinária mais de 22 milhões de reais para complementar a folha de pagamento dos servidores,  disse  que foi pago uma parte do pessoal mas não todos os trabalhadores da educação.

Em nota, o Sindicato dos Servidores Público Municipais de Uauá – SINDSMU disse que estaria impetrando Mandado de Segurança e buscando através de reunião com o executivo, através do prefeito em exercício, Marcos Lobo, que, por sua vez, disse que era de responsabilidade do antigo gestor o pagamento dos salários do servidores que ficaram sem receber o mês de dezembro, porém, segundo Milton Rodrigues, Presidente do SINDSMU, “a obrigação de pagar o mês de dezembro era do prefeito Lindomar, que era responsável pela gestão de 2017 a 2020, mas a dívida  é de responsabilidade do município.  

“Na tentativa de reaver o pagamento dos salários do mês de Dezembro, do ano de 2020, deixados de pagar pela gestão do ex-prefeito Lindomar Dantas, o Sindsmu Bahia  requereu de servidores distribuídos em várias secretarias, extratos bancários para serem anexados ao Mandado de Segurança, que fora impetrado na tarde desta segunda, 04/01.” Disse.

“Aguardamos a decisão da justiça comum e esperamos que a Justiça seja feita, e não tenha o servidor de ser penalizado.” Conclui nota.

Desde o ano de 2000 que o Município de Uauá, por parte de gestores que estão em fim de mandato eletivo de prefeito, não pagaram 13º de salário e do mês de dezembro. 

Em 2000, os servidores efetivos, não receberam o pagamento do mês de dezembro, o 13º salário e 1/3 de férias do referido ano. De la pra cá só a ex-prefeita conseguiu pagar no ano em curso. A Partir daí, Jorge Lobo conseguiu reeleição e, na sua saída ele não conseguiu pagar parte do 13º e nem o pagamento de dezembro, o ex-prefeito Olímpio não pagou em dezembro e, agora, o ex-prefeito Lindomar.

Ainda nesta sexta-feira (08-01), o Sindsmu enviou Oficio ao Ministério Público para que tome as medidas cabíveis. Assim sendo o prefeito atual deve pagar os salários em atraso dos servidores.

A diretoria da APLB Sindicato Uauá convoca os professores que ficaram sem receber seus salários no mês de dezembro para uma manifestação pacífica a ser realizada na próxima segunda-feira (11), às 09h00, na Praça São João Batista. E, por atender as recomendações da OMS e o decreto do estado, o Sindicato pede aos que comparecerem fazer uso de máscara e manter o distanciamento social.

Do home office – UAUÁ NOTICIAS / uaua.com.br