São Paulo 28/8/2020 –

Liceu Franco-Brasileiro de São Paulo – Lycée Pasteur promove rede de apoio para minimizar impactos do isolamento social entre alunos e familiares

Segundo pesquisa da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, o número de casos de pessoas com depressão quase dobrou durante a pandemia de Covid-19. Casos de estresse e de ansiedade também aumentaram 80% de acordo com o estudo. Atento a esse cenário, o Liceu Franco-Brasileiro de São Paulo – Lycée Pasteur criou uma rede de apoio psicológico aos estudantes e suas famílias, para amenizar os efeitos causados pelo isolamento social.

O coordenador geral do Lycée Pasteur, em conjunto com a Associação de Pais e Alunos, entende que esse suporte é extremamente importante neste momento. “Estamos vivendo um momento atípico, que requer um olhar atento das escolas para as famílias. Precisamos entender as necessidades de cada um dos núcleos com os quais nos relacionamos, para que os alunos continuem o processo de aprendizagem com a qualidade e zelo de sempre”, diz o coordenador.

O objetivo da iniciativa é abrir um canal de conversas e de apoio, tanto para os pais quanto para os estudantes, já que muitos estão com dificuldades neste período. “Percebemos que os familiares estão sobrecarregados com tantas obrigações, precisando cuidar da casa e dos filhos, trabalhar e ainda ajudar nas tarefas escolares das crianças, tudo ao mesmo tempo”, comenta a presidente da Associação de Pais e Alunos.

Desde abril, a psicóloga escolar Karina Deburck, que já trabalha em ações promovidas pelo Lycée Pasteur há 18 anos, tem conversado separadamente com os pais e alunos que solicitaram o apoio. “Estamos vivendo um momento de incertezas, que envolve nossa saúde, trabalho e a estabilidade financeira. Nossa convivência com a família está muito mais intensa, já que não podemos sair de casa. Estamos realizando muito mais tarefas do que estávamos acostumados tanto em termos de quantidade que de diversidade”, conta a psicóloga.

Para os jovens não é diferente. Acostumados a uma rotina de aulas presenciais em companhia de amigos e ao convívio social proporcionado pela escola, hoje eles têm aulas online e estão se habituando à interação apenas através de telas. A crise, no entanto, também promove mais união entre eles, que formaram grupos para ajudar os colegas com dificuldades em determinadas matérias ou que precisam de apoio, seja ele qual for.

O mesmo acontece entre os pais, que criaram uma rede colaborativa para se ajudarem no suporte aos filhos e na execução de atividades escolares. Aqueles com mais conhecimento em determinada disciplina auxiliam os que têm menos familiaridade com o tema. “Solidariedade e apoio são a chave para atravessarmos essa crise da melhor maneira possível. Estou muito feliz com essa interação entre as famílias e os alunos, com a forma encontrada para colaboração mútua neste momento de dificuldades e adaptações”, afirma Maria.

O apoio psicológico funcionará enquanto houver o isolamento social. “Essa assistência contribui para amenizar as angústias, trazer tranquilidade e clareza, para que pais e alunos consigam se organizar de forma mais equilibrada”, complementa a psicóloga.

Website: http://lfpasteur.com.br/