Exonerado de secretaria no governo Bolsonaro, Bebianno será candidato a prefeito do Rio de Janeiro

Primeiro ministro a cair no governo Bolsonaro, Gustavo Bebianno será o candidato do PSDB para disputar a prefeitura do Rio de Janeiro. O ex-ministro da Secretaria-Geral e advogado conta com o apoio de João Dória, que segundo O Globo, teria se convencido em apoiar o seu nome após a participação de Bebianno no programa “Roda Viva”, da TV Cultuira”, na última segunda-feira (2).

Bebianno deve tomar o lugar de Mariana Ribbas, que até então era a pré-candidata tucana à sucessão de Marcelo Crivella (Republicanos), que provavelmente dever tentar a reeleição. Eduardo Paes (DEM), Benedita da Silva (PT), Marcelo Calero (Cidadania) – ex-ministro do Turismo no governo Temer – e Marcelo Freixo (PSOL) são outros possíveis nomes do pleito municipal deste ano.

“Quando cheguei ao PSDB, o partido já tinha uma pré-candidata. A política é muito dinâmica. Isso não apaga meu desejo de, quem sabe, vir a disputar a prefeitura”, disse Bebianno.

Rompido com o PSL, Gustavo Bebianno presidiu a legenda, após o licenciamento de Luciano Bívar, e foi implicado na investigação da Polícia Federal no esquema que ficou conhecido como “Laranjal do PSL”. Na ocasião, o ex-ministro disse ter conversado com o Jair Bolsonaro sobre o assunto, mas o presidente negou, o que deu início ao desgaste na relação dos dois.

Contudo, Bebianno mantém relações próximas com Wilson Witzel (PSC), governador do Rio e que tem sido pretendido pelo PSL. Nos bastidores, existe a conversa de que Bebianno está desagradado com o apoio de certa ala tucana ainda à candidatura de Mariana Ribbas

Bnews