Moro aceita denúncia de sítio e torna Lula réu pela 3ª vez

O juiz federal Sérgio Moro aceitou nesta terça-feira denúncia feita pelo Ministério Público Federal relacionada a um sítio em Atibaia, interior de São Paulo, e tornou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mais uma vez réu em uma ação penal no âmbito da operação Lava Jato. Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva 21/07/2017 REUTERS/Leonardo […]

O juiz federal Sérgio Moro aceitou nesta terça-feira denúncia feita pelo Ministério Público Federal relacionada a um sítio em Atibaia, interior de São Paulo, e tornou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mais uma vez réu em uma ação penal no âmbito da operação Lava Jato.

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva
21/07/2017
REUTERS/Leonardo Benassatto
Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva 21/07/2017 REUTERS/Leonardo Benassatto

Foto: Reuters

De acordo com a denúncia recebida por Moro, Lula foi o beneficiado por reformas feitas no sítio e era, segundo os procuradores, o responsável pelo esquema de corrupção na Petrobras.

 

As reformas teriam sido pagas pelo pecuarista José Carlos Bumlai, amigo de Lula, e pelas empreiteiras Odebrecht e OAS, como forma de propina ao ex-presidente, ainda na época em que ele ocupava o cargo.

“Os elementos probatórios juntados pelo MPF e também colacionados pela Polícia Federal permitem, em cognição sumária, conclusão de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comportava-se como proprietário do sítio de Atibaia e que pessoas e empresas envolvidas em acertos de corrupção em contratos da Petrobras, como José Carlos Cosa Marques Bumlai, o Grupo Odebrecht e o Grupo OAS, custearam reformas na referida propriedade, tendo por propósito beneficiar o ex-presidente”, escreveu Moro.

“Doutro lado, até o momento, não se ouviu, em princípio, uma explicação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva do motivo de José Carlos Cosa Marques Bumlai, do Grupo Odebrecht e do Grupo OAS, terem custeado reformas de cerca de 1.020.500 de reais no sítio de Atibaia, este de sua frequente utilização, e que se iniciaram ainda durante o mandato presidencial.”

Além de Lula, Bumlai também tornou-se réu, assim como os ex-presidentes da Odebrecht Marcelo Odebrecht e da OAS José Aldemário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, e Roberto Teixeira, um dos advogados de Lula.

Condenado, Lula anuncia candidatura à Presidência em 2018

Os réus responderão pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

Com a decisão de Moro, Lula passa a ser réu em três ações penais na Lava Jato –também é acusado de receber propina na forma de um terreno que seria destinado ao Instituto Lula e de um apartamento vizinho ao que moro em São Bernardo do Campo, e de tentar obstruir as investigações da operação. O primeiro caso tramita sob Moro, em Curitiba, enquanto o segundo corre na Justiça Federal do Distrito Federal.

Lula é réu ainda em outros dois processos na Justiça Federal de Brasília. Um da operação Zelotes –em que é acusado de tráfico de influência na compra de caças para a Força Aérea Brasileira (FAB) e na edição de medidas provisórias que beneficiaram o setor automotivo– e outro da operação Janus –relacionada a contratos da Odebrecht em Angola.

O ex-presidente já foi condenado por Moro por corrupção passiva e levagem de dinheiro no caso envolvendo um tríplex, também no âmbito Lava Jato.

O ex-presidente nega quaisquer irregularidades e seus advogados afirmam que ele é alvo de perseguição política por setores da Polícia Federal, do Ministério Público e do Judiciário.

ReutersReuters.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha Captcha Reload