Campanha de vacinação contra a gripe de 4 a 22 de maio!

Campanha de vacinação contra a gripe de 4 a 22 de maio! A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) pretende imunizar cerca de 170 mil pessoenses durante a campanha de vacinação contra a gripe, que começa nesta segunda-feira (4), em todas as unidades de saúde da Capital, e segue até o dia 22 de maio.  Serão […]

Campanha de vacinação contra a gripe de 4 a 22 de maio!

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) pretende imunizar cerca de 170
mil pessoenses durante a campanha de vacinação contra a gripe, que
começa nesta segunda-feira (4), em todas as unidades de saúde da
Capital, e segue até o dia 22 de maio.  Serão vacinadas pessoas a partir
dos 60 anos, trabalhadores de saúde, povos indígenas, crianças na faixa
etária de 6 meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias, gestantes, puérperas
(mulheres até 45 dias após o parto), grupos portadores de doenças
crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais,
população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional.
“A nossa meta é atingir 80% da população de cada grupo alvo desta
campanha, o que representa 168.032 pessoas. Ações como esta têm
contribuído na redução da mortalidade em indivíduos portadores de
doenças crônicas, como doença cardiovascular, Acidente Vascular Cerebral
(AVC), doenças renais, diabetes, pneumonias, Doença Pulmonar Obstrutiva
Crônica (DPOC), dentre outras”, explicou a coordenadora de imunização
da SMS, Chiara Dantas.
Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que a influenza
acomete de 5% a 15% da população, causando entre três e cinco milhões de
casos graves e até 500 mil mortes todos os anos, em todo o mundo.
A doença pode ser causada pelos vírus Influenza A, B e C. “Os vírus A
e B apresentam maior importância clínica, estima-se que, em média, as
cepas A causem 75% das infecções, mas em algumas temporadas, ocorre
predomínio das cepas B. A vacinação contra influenza mostra-se como uma
das medidas mais efetivas para a prevenção da influenza grave e de suas
complicações. Atualmente, as vacinas utilizadas contêm antígenos contra
três cepas de influenza: A(H1N1), A(H3N2) e B. Estas cepas são
escolhidas a cada ano visando prevenir a doença causada por cepas que
circularão na temporada seguinte”, complementou Chiara Dantas.
Contraindicações – A vacina é contraindicada para
pessoas com história de reação anafilática prévia em doses anteriores,
bem como a qualquer componente da vacina ou alergia grave relacionada a
ovo de galinha e seus derivados.
Precauções – Em doenças agudas febris moderadas ou
graves recomenda-se adiar a vacinação, até a resolução do quadro, com o
intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença.
Dia ‘D’ – “Teremos um dia de mobilização nacional
que será dia 9. Neste dia teremos em torno de 130 postos de vacinação
entre fixos e móveis. Todas as unidades de saúde da família (USF)
abrirão de 8h às 17h”, relatou a coordenadora.
Os postos móveis do Dia ‘D’estarão espalhados por toda a cidade e
funcionarão no Atacadão (BR 230), Carrefour (Bancários e BR 230), Centro
do Idoso do Altiplano, Extra Hipermercado (Avenida Epitácio Pessoa),
Hiper Bom Preço (BR 230), Mag Shopping, Pão de Açúcar (Avenida Epitácio
Pessoa), Shopping Manaíra, Shopping Mangabeira, Shopping Sul, Shopping
Tambiá e Supermercado Bompreço (Avenida João Machado).
Profissionais de Saúde – Os trabalhadores de
hospitais públicos e privados da Capital serão vacinados no próprio
ambiente de trabalho. “Formamos equipes de vacinação para realizar esta
ação. Fazemos essa parceria para facilitar o acesso da vacinação aos
profissionais da saúde, já que este é um grupo de risco importante e que
não deve adoecer, pois sua ausência compromete os serviços de saúde”,
disse Chiara Dantas.
Categoria de risco clínico – Confira abaixo a
relação das doenças crônicas não transmissíveis e outras condições
clínicas especiais, que compõem o público alvo da campanha, de acordo
com o Ministério da Saúde.
Para ser imunizada a pessoa, que se enquadrar em alguma destas categorias, deve apresentar receita médica.

Categoria de risco clínico Indicações
Doença respiratória crônica Asma em uso de corticóide inalatório ou sistêmico (Moderada ou Grave),
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC)
Bronquiectasia,
Fibrose Cística,
Doenças Intersticiais do pulmão,
Displasia broncopulmonar,
Hipertensão arterial Pulmonar,
Crianças com doença pulmonar crônica da prematuridade
Doença cardíaca crônica Doença cardíaca congênita,
Hipertensão arterial sistêmica com comorbidade,
Doença cardíaca isquêmica,
Insuficiência cardíaca.
Doença renal crônica Doença renal nos estágios 3,4 e 5,
Síndrome nefrótica,
Paciente em diálise.
Doença hepática crônica Atresia biliar,
Hepatites crônicas,
Cirrose.
Doença neurológica crônica Condições em que a função respiratória pode estar comprometida pela doença neurológica,
Considerar as necessidades clínicas individuais dos pacientes incluindo:
AVC, Indivíduos com paralisia cerebral, esclerose múltipla, e condições
similares,
Doenças hereditárias e degenerativas do sistema nervoso ou muscular,
Deficiência neurológica grave.
Diabetes Diabetes Mellitus tipo I e tipo II em uso de medicamentos.
Imunossupressão Imunodeficiência congênita ou adquirida
Imunossupressão por doenças ou medicamentos
Obesos
Trissomias Sindrome de dow

Deixe uma resposta