SINTEPAV paralisa obras da BR- 235 no trecho Canhé / Uauá

SINTEPAV paralisa obras da BR- 235 no trecho Canhé / Uauá


Depois de uma semana com as obras da BR-235 no trecho Canché / Uauá, paradas por determinação do (SINTEPAV) – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Pesada e Montagem Industrial do Estado da Bahia. A empresa Terrabrás responsável pela obra decidiu retomar os trabalhos mais foi impedida por lideres do Sindicato que tomaram a frente dos caminhões da empresa.
Segundo a empresa TerraBrás, um homem do sindicato entrou na frente do ônibus da empresa, na manhã desta sexta-feira (23), impedindo a passagem, forçando os funcionários a descer do veiculo. O homem ainda furou os pneus do ônibus da empresa.
De acordo com o representante do Sintepav-BA, José dos Santos, a entidade apresentou ao MPT um documento que correspondia a um reajuste de 12% total. Segundo ele, em assembléia realizada as, empresas do setor rodoviário, esfera vinculada a Associação Baiana das Empresas de Obras e Rodagens (ABO), informaram que houve uma regressão para 7%, “Além de não agir com o que foi combinado no início da semana eles ainda regrediram o percentual.
O sindicato presume que as empresas rodoviárias queiram provocar o Governo do Estado. Eles alegam que o Estado não paga aquilo que eles têm como custo. Diante dessa situação, não restou outra alternativa.
Como nada foi consolidado, entramos em greve por tempo indeterminado”, esclarece. Segundo dados do Sintepav, cerca de 40 mil trabalhadores em todo o Estado são responsáveis pela concretização dos principais projetos de infraestrutura de mineração, recapeamento de estradas e rodagens, ferrovias, irrigação, gasoduto de Catu, Pequenas Centrais Hidrográficas (PCH), dentre outros empreendimentos.
Em Salvador, são oito mil operários divididos entre os canteiros da Via Expressa Baía de Todos os Santos (1.600), Canal do Imbuí (400), Metrô (350), além do emissário submarino de Jaguaribe.
A greve foi iniciada no ultimo dia (13) terça-feira, quando a categoria parou os trabalhos da Via Expressa e realizou uma caminhada que se estendeu do canteiro de obras da Rótula do Abacaxi até a sede do Sindicato, no Campo da Pólvora, a fim de que a classe patronal atenda as demandas dos operários na empreitada salarial 2010 e em melhores condições de trabalho. Nesse sentido, o sindicato informou ainda que a classe almeja o fornecimento de cesta básica, pagamento de horas extras e redução da jornada de trabalho sem redução de salário.

Fonte: umbuzada.com

About Soluções em publicidade Ascom