Governo Temer retira menções sobre “gênero” e “orientação sexual” da Base Curricular das escolas

Governo Temer retira menções sobre “gênero” e “orientação sexual” da Base Curricular das escolas

O governo Michel Temer excluiu menções sobre identidade de “gênero” e “orientação sexual” da nova versão da Base Nacional Comum Curricular elaborada pelo Ministério da Educação. Educadores criticam a medida alegando que as mudanças devem inibir as discussões sobre “gênero e sexualidade” em sala de aula. As menções apagadas pelo ministério atingiram as áreas de ciências humanas, ciências da natureza e linguagens (artes e educação física), além da introdução da parte de ensino fundamental.
A nova base curricular já foi encaminhada ao CNE (Conselho Nacional de Educação) na semana passada, dia 29. O documento, ainda em processo de análise final do conselho, deve ser divulgado nos próximos dias.
A base define aquilo que os alunos devem aprender, a cada ano, na educação básica. Só a parte que vai da educação infantil ao ensino fundamental está em discussão. A discussão sobre ensino médio foi congelada pelo governo.
A proposta de currículo que a gestão Temer pretende aprovar contém pontos revisados pelo ministério a partir da terceira versão, que havia sido mandada ao CNE em abril. O texto tem recebido sugestões de emendas de conselheiros em todas as áreas. O governo resolveu excluir dezenas de nomenclaturas relacionadas a ideologia de gêneros, religiões, etc, simplificando o entendimento de que “preconceitos de qualquer natureza” são condenáveis, tendo em vista o ser humano como ponto central de qualquer questão.