Este é mais um capítulo da “novela Derruba Everton que eu quero ver!?”, uma história que começou a ser construída bem antes de Rocha ser prefeito.

Anos de resistência e processos inúmeros que responde na justiça, em várias tentativas, inclusive, de barrar sua candidatura, depois de eleito nas urnas é empossado como prefeito, a maioria destes, com vitórias do prefeito radialista, em mais uma movimentação da Câmara de Jaguarari, na tentativa de Cassar o mandato do tucano, esta semana mais um capítulo de “sai Everton, entra Everton”.

É que o MM° JOÃO BATISTA ALCÂNTARA FILHO, juíz substituto de 2° grau, em Salvador, DEFERIU, durante o plantão judiciário, AGRAVO REGIMENTAL e derrubou liminar que manteve a Sessão da Câmara de vereadores Jaguarari, realizada no último dia 29 de março, que teve como resultado final, a cassação do mandato do prefeito Everton Rocha e o vice assumindo na mesma noite do dia 29, o cargo de prefeito. No pedido, Rocha alegou que a CPP 001/2018 não seguiu critério de proporcionalidade na elaboração do parecer (na sessão o vereador/membro, Louri disse que não sabia da data, mas o vereador/presidente, Val, o rebateu afirmando que tanto sabia que enviou atestado médico para justificar a ausência), oitivas de testemunhas em assentadas irregulares e práticas ilegais de determinadas intimações (de acordo com relatório lido na sessão, todas as intimações seguiram a Lei e que inclusive foram, também, publicadas em Diário Oficial).

Fato é que mais uma vez, a Câmara de vereadores de Jaguarari tem seus resultados sendo revogados por “superiores” e com isso, o prefeito cassado por duas vezes, continua no cargo.