Nota de esclarecimento:

Em face da publicação despicienda feita pelo Sr. Francisco Tavares dos Santos (Prolepses), noticiando com ares de espetáculo fato mentiroso envolvendo a Secretaria Municipal de Educação, venho a público esclarecer o que abaixo se segue:
Hoje, dia 02 de março de 2018, como desdobramento do processo de reordenamento da Rede Municipal de Ensino, o expediente na Secretaria de Educação esteve excepcionalmente voltado a atender os professores da Rede, com a finalidade de esclarecer dúvidas sobre a Portaria 002/2018, que dispõe sobre as decisões dos requerimentos de lotação/remoção para preenchimento das vagas abertas nas unidades de ensino do município, oportunidade em que, abertos ao diálogo, nos colocamos à disposição do conjunto de servidores do magistério local, para atendê-los com urbanidade, respeito, tolerância e, sobretudo, equidade.

Nesse mesmo dia, a servidora gestante Sebastiana Moura de Santana Gonçalves, conhecida como Diana, este na sede da Secretaria de Educação para sinalizar a nossa equipe técnica que acompanha todo o processo, sobre problemas gestacionais sérios que a impedem de estar no exercício de sua função, argumentando que em momento posterior lastrearia as informações levadas a conhecimento da Secretária de Educação através do competente laudo médico.

Na ocasião, feitos ditos esclarecimento, ao sair da sala da Secretária, a sobredita professora, em razão da sua delicada situação, não conseguiu se locomover sozinha, circunstância em que foi prontamente conduzida pelo servidor Carlos Sebastião. Chegando próximo à entrada da porta da Secretaria, o Sr. Prolepses adentrava o espaço, visualizou a situação e também auxiliou na condução da servidora até o transporte que a esperava.

Todavia, em que se pese a circunstancialidade do fato, o Sr. Francisco Prolepses, no auge dos seus mais insensatos arroubos e na sua sanha pelo espetáculo, usa as redes sociais – como é de costume fazê-lo – para desvirtuar a verdade fática e fazer diagnósticos precipitados, recheados de alegações infundadas, mesquinhas e politiqueiras sobre uma situação envolvendo o estado gravídico de uma servidora do quadro do magistério municipal.
Tal postura, obviamente, se mostra manifestamente inversa a de uma representante sindical que paute seu agir com responsabilidade e coerência.

Vale ressaltar, que Professora Diana em nenhum momento foi maltratada pela equipe da Secretaria de Educação e o seu mal-estar, conforme se disse, estão estritamente ligados ao seu problema de saúde. Dizer do contrário é de uma leviandade sem tamanho.

Dessa feita, nós da gestão da Educação, repudiamos as informações inverídicas difundidas nas redes que intencionam, sem êxitos, colocar em jogo a nossa reputação pública.

Pontuamos por fim que a equipe da Educação estará sempre à disposição dos segmentos diversos da sociedade, entidades de representação, para realizar a escuta sensível das demandas e as questões estruturantes afeitas à Educação Municipal, sempre com sobriedade, serenidade e, sobretudo, responsabilidade.

Atenciosamente,
JUSSARA DANTAS