O motorista Ronaldo Miranda foi condenado a por homicídio culposo – quando não há intenção de matar – pelas mortes do cantor sertanejo Cristiano Araújo, e de sua namorada, Allana Coelho Pinto de Moraes, no dia 24 de junho de 2015. Miranda deve cumprir 2 anos, 7 meses e 15 dias de prisão, em regime aberto., segundo a Folha.  Para a juíza Patrícia Machado Carrijo, da 2ª Vara Cível de Goiás, ficou comprovado a autoria do crime, uma vez que “Ronaldo Miranda tinha plena ciência sobre as condições precárias das rodas instaladas no veículo e do risco inerente da sua utilização no momento de sua condução”. O funcionário foi condenado por imperícia, imprudência e negligência. “O acusado deixou de utilizar do conhecimento técnico necessário para condução do veículo, eis que naquele momento atuava na função de motorista da vítima”, explicou a magistrada, em relação a condenação por imperícia. Na ocasião, a Range Rover, em que o artista estava, capotou na BR-153, no km 614, entre Morrinhos e o trevo de Pontalina. Miranda dirigia o veículo e foi indiciado por duplo homicídio culposo. Pelo Código Brasileiro de Trânsito, a pena para esse tipo de crime é de dois a quatro anos de prisão e suspensão da habilitação. Apesar da condenação, a juíza Patrícia Machado Carrijo considerou que Ronaldo Miranda havia preenchido todos os requisitos do artigo 44 do Código Penal Brasileiro e, por isso, ela substituiu a pena privativa de liberdade pela prestação de serviços à comunidade e pela prestação pecuniária no valor de dez salários mínimos (cerca de R$ 9.540). Além disso, a magistrada determinou que ele pague R$ 25 mil a título de reparação dos danos causados aos sucessores de cada uma das vítimas. Ronaldo ainda teve a CNH (Carteira Nacional de Habilitação) suspensa. Desde setembro de 2015, Miranda trabalha com o cantor Marrone, da dupla com Bruno, acompanhando o músico em turnês e em compromissos pessoais.