Queria mais: Luislinda Valois pediu para receber R$ 300 mil em super salário retroativo

Queria mais: Luislinda Valois pediu para receber R$ 300 mil em super salário retroativo

A ministra dos Direitos Humanos queria embolsar ainda mais de R$ 300 mil em super salários retroativos. De acordo com o jornal O Globo, ela havia solicitado acumular os vencimentos de forma retroativa, desde julho de 2016, quando passou a ser secretária de Igualdade Racial, até fevereiro deste ano, quando assumiu o cargo de ministra.

O pedido, no entanto foi negado pela Casa Civil. Ainda segundo a publicação, ela pediu para receber a remuneração com “as devidas atualizações e correções”. “Com as devidas atualizações e correções no que se refere ao período em que laborei como Titular da Secretaria em comento, situação que perdurou de 6 de julho de 2016 até o dia 2 de fevereiro de 2017”, escreveu a ministra.

Ela requereu os salários retroativos relativos ao trabalho como secretária e ministra. Como secretária de Igualdade Social, recebia cerca de R$ 15 mil. Já à frente  da pasta dos Direitos Humanos, ganhava R$ 30.934,70. Caso o governo aceitasse pagar os vencimentos de forma retroativa, precisaria desembolsar para Luislinda um supersalário de R$ 304.307,00, a ministra que criou o “trabalho escravo” com salário de R$ 33,7 mil.

 

Adailton Santana

RADIALISTA Formação Locutor-Apresentador- Radialista profissional diplomado pela Residência Educação, em parceria com o MEC, no âmbito do PRONATEC - Alagõas, é experiente na área de Comunicação e Segmentação Editorial em sites, blogs, Tem experiencia em Apresentação de Cerimoniais. Concluiu o Curso de Especialização em Locutor-Apresentador, realizado pela Residência Educação, em parceria com o MEC em 2018 e obteve a certificação de um trabalho que já faz desde o ano de 2003, quando ingressou no Rádio. Com a realização de curso de capacitação ministrado pelo Imega Cursos e Entretenimento, em 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Captcha Captcha Reload