O perigo dos garimpos clandestinos no norte da Bahia

O garimpo é a forma manual de exploração do solo que tem por finalidade a extração de minerais valiosos. O trabalho é realizado, na maioria das vezes, de forma independente e ilegal, apesar de ser uma atividade normalizada pelo Governo Federal. No norte da Bahia, muitas pessoas se arriscam em busca de uma mudança de […]

O garimpo é a forma manual de exploração do solo que tem por finalidade a extração de minerais valiosos. O trabalho é realizado, na maioria das vezes, de forma independente e ilegal, apesar de ser uma atividade normalizada pelo Governo Federal. No norte da Bahia, muitas pessoas se arriscam em busca de uma mudança de vida.

Mas o perigo nesses locais é constante. Na última terça-feira (10), por exemplo, um jovem de 22 anos veio a óbito numa mina clandestina na cidade de Pindobaçu. Elvis Silva Ferreira trabalhava na mina quando o solo cedeu. Ele morreu na hora. O garimpeiro trabalhava há cerca de um ano na mina.

É importante ressaltar que a cidade de Pindobaçu tem duas minas: de ouro e de esmeralda. A mina de esmeralda fica na Carnaíba e funciona legalmente através da cooperativa de mineradores de esmeraldas, após autorização do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM). Já a mina de ouro não tem autorização do DNPM para funcionar e já foi interditada outras vezes, mas ainda assim os garimpeiros retornam.

Essa mina de esmeraldas é a mesma onde já foram encontradas esmeraldas gigantes. A última foi uma pedra de 60 centímetros de altura e pesa 137 kg, como este Blog mostrou com exclusividade no último mês de julho. Os donos – um de Petrolina e outro de Curaçá – informaram que a esmeralda foi avaliada em R$ 500 milhões.

Sento-Sé

Outros acidentes aconteceram em Sento-Sé. No mês de agosto último, dois garimpeiros morreram, após uma explosão numa mina de ametistas. As vítimas foram Ivanilson Bezerra da Silva, de 21 anos, e João Martins Cordeiro Filho, de 35 anos. Segundo informações policiais, o acidente ocorreu porque os trabalhadores colocaram mais de um explosivo na mina e foram verificar se um deles não tinha sido acionado. No entanto, quando entraram na mina, o dispositivo acabou explodindo.

À época, o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM) e o Ministério Público Federal (MPF) de Petrolina informaram que estavam acompanhando a situação da mina, que funciona desde o início deste ano. Alguns locais foram interditados, mas os garimpeiros estariam desobedecendo os limites de segurança. Vale lembrar que nessa mia de Sento-Sé outros casos já tinha ocorrido. Três garimpeiros ficaram feridos em um desmoronamento no dia 13 de junho. No dia 7 de julho, outros dois acidentes ocorreram no mesmo dia, deixando três feridos.

Histórico

Essa prática de exploração dos recursos minerais existe desde o século 18 no país e, apesar da massiva ilegalidade e dos grandes impactos ambientais e à saúde do trabalhador, continua em atividade e representa, segundo sites especializados no assunto, quase 4% do Produto Interno bruto (PIB) nacional – cerca de R$ 70 milhões por ano. (foto/reprodução)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *