Jaguarari-Ba: Por erro de documentação, prefeitura suspendeu Feira da 25 de março até regularização de pendências

O conhecido “feirão da 25 de março”, grupo que percorre diversas cidades comercializando a preço de fábrica mercadorias como confecções, calçados, bijuterias e eletrônicos foi autorizado a se instalar por 4 dias em Jaguarari no período de 27 a 30 de maio, no entanto, uma falha na documentação da empresa fez com que a prefeitura, após cobranças do comércio local, revisasse o processo de liberação do Alvará e suspendesse o referido documento, pois, conforme requer para ser autorizada, a empresa precisa ter a finalidade de “varejista para as mercadorias vendidas”, porém na documentação apresentada não consta e baseados neste detalhe, representantes dos comerciantes procuraram o prefeito municipal solicitando a imediata suspensão do Alvará.
Nossa equipe chegou ao Estação Show, local onde está instalada a Feira da 25 de março no exato momento em que a Guarda Municipal e a Polícia Civil solicitavam a imediata suspensão da atividade, haja vista a ausência formal de autorização devido a suspensão do Alvará. Não houve truculência, conforme noticiado por um blog de Bonfim, mas sim, revolta dos clientes que acusaram o comércio de Jaguarari de arbitrariedade e monopólio. Por uma falha de comunicação, um dos representantes da Feira chegou a ser encaminhado até a viatura da Civil, mas em seguida o agente de polícia entendeu a situação do mesmo, já que este não é brasileiro, e o liberou. Populares que estavam à espera do “Feirão da 25 de março”, criticaram a decisão da prefeitura em suspender o Alvará.
Entramos em contato com o responsável da Feira, o Sr. Marcelo, este chegará na cidade ainda hoje com a documentação completa, conforme exigência da prefeitura, para dar entrada na correção da liberação do Alvará.
Falamos, também, com o prefeito Everton Rocha, que nos disse ser sensível ao trabalho do pessoal da Feria 25 de março, mas que devido a falha na documentação não podia incorrer em manter o Alvará e, que tão logo seja apresentada a documentação legal da empresa responsável, não causará qualquer impedimento para a sua permanência na cidade, até porque, segundo ele, o tipo de mercadoria não compete com a qualidade das mercadorias comercializadas pelo comércio local. 
Jaguararionline

Adailton Santana

RADIALISTA Formação Locutor-Apresentador- Radialista profissional diplomado pela Residência Educação, em parceria com o MEC, no âmbito do PRONATEC - Alagõas, é experiente na área de Comunicação e Segmentação Editorial em sites, blogs, Tem experiencia em Apresentação de Cerimoniais. Concluiu o Curso de Especialização em Locutor-Apresentador, realizado pela Residência Educação, em parceria com o MEC em 2018 e obteve a certificação de um trabalho que já faz desde o ano de 2003, quando ingressou no Rádio. Com a realização de curso de capacitação ministrado pelo Imega Cursos e Entretenimento, em 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Captcha Captcha Reload