Comunidades beneficias pelo Programa Água Doce recebem oficinas de capacitação

Oficinas acontecem até o dia 24 e vão garantir o funcionamento adequado dos sistemas de dessalinização e auxiliar as comunidades no aprimoramento da gestão da água A Secretaria do Meio ambiente está realizando, durante o mês de maio, palestras e oficinas nas comunidades beneficiadas pelo Programa Água Doce (PAD) com o objetivo de capacitar moradores […]
Oficinas acontecem até o dia 24 e vão garantir o funcionamento adequado dos sistemas de dessalinização e auxiliar as comunidades no aprimoramento da gestão da água
A Secretaria do Meio ambiente está realizando, durante o mês de maio, palestras e oficinas nas comunidades beneficiadas pelo Programa Água Doce (PAD) com o objetivo de capacitar moradores e lideranças locais para operar os sistemas de dessalinização. Segundo o órgão, a ação visa a garantir o funcionamento adequado dos sistemas, bem como auxiliar e incentivar as comunidades no aprimoramento da gestão da água. As atividades contemplam 16 comunidades em 11 encontros, que acontecem entre os dias 16 e 24 de maio, em cinco municípios do semiárido baiano.
Ainda de acordo com o Sema, o Programa Água Doce transforma água salobra de poço em água potável da mais alta qualidade para o consumo humano, através da implantação de sistemas sustentáveis de dessalinização no semiárido, incentivando a autonomia das comunidades na gestão do seu mais precioso recurso natural.
Na Bahia, o programa é coordenado pela Secretaria do Meio Ambiente (Sema), com parceria, na execução das obras civis, da Companhia de Engenharia e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb), e recursos do Ministério do Meio Ambiente, além da participação dos municípios e das comunidades beneficiadas na gestão e manutenção dos sistemas.

As oficinas foram iniciadas no último dia 16 de maio, em Itiúba (comunidades de Ponta Baixa e Caldeirã) e Monte Santo (Lagoa Bonita e Salgado). Dia 17, foram contempladas as comunidades rurais de Manuel Patrício, Cruz II do Salitre e Pateiro, no município de Juazeiro.
Em Juazeiro, a atividade será realizada ainda nos dias 18 (Veneza), 19 (Bargado) e 20 (Juvenal e Campo Grande). Dia 22, será contemplada a comunidade de Caldeirão do Almeida, em Uauá. Dia 23, Poço do Cavalo, em Quijingue. E dia 24, também em Quijingue, a atividade será para as comunidades do Poço da Pedra e Jurema.
São convidados para participar dos encontros, lideranças e moradores das comunidades, representantes das prefeituras municipais e órgãos públicos, profissionais de saúde e educação da região, entre outros.
Ao todo, quase 80 comunidades já receberam as oficinas de capacitação do PAD, desde a implantação da primeira etapa do programa na Bahia, que totalizou 145 sistemas de dessalinização, em 26 municípios. O programa tem previsão de implantar mais 150 unidades, contemplando 48 municípios. A previsão total de investimento é em torno de R$ 62 milhões, com recursos do Ministério do Meio Ambiente.

Sistema de dessalinização – O sistema é, basicamente, composto pelo poço, de onde é puxada a água salobra, que vai para o dessalinizador, equipamento que tem uma tripla membrana com microporos que filtram a água, retendo o excesso de sais minerais, além de retirar totalmente o flúor, o nitrato, bactérias e vírus. O resultado é uma água purificada e com quantidades ideais de sais minerais para o organismo, com qualidade superior à água pluvial.
O efluente (concentrado das substâncias e sais retidos) é canalizado para um tanque com lona, onde a comunidade pode criar tilápias, ou irrigar culturas resistentes aos sais, como a erva-sal, que serve para alimentar caprinos e ovinos, entre outros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *