Conselho Comunitário e 45ªCIPM em Curaçá, Mobiliza Sociedade Contra a Exploração Infanto-juvenil

Por iniciativas do Comando da 45ªCIPM e CONSEG em Curaçá, foram reunidos ontem as 14h, 23.03.17, na PAFOR, autoridades e representantes do município de Curaçá, e demais entidades da Rede de Proteção da Infância e Juventude. Em pauta, a busca de novas estratégias capazes de evitar a ocorrência de abusos aos direitos infantojuvenis e garantir […]

Por iniciativas do Comando da 45ªCIPM e CONSEG em Curaçá, foram reunidos ontem as 14h, 23.03.17, na PAFOR, autoridades e representantes do município de Curaçá, e demais entidades da Rede de Proteção da Infância e Juventude. Em pauta, a busca de novas estratégias capazes de evitar a ocorrência de abusos aos direitos infantojuvenis e garantir a segurança física e moral de crianças e adolescentes em Curaçá.
A motivação do encontro segundo o Maj QOPM Roberto, se deu pela necessidade de ampliar as ações que já vem sendo feitas pela Companhia com a *Operação Protege Curaçá*, nos interiores e sede do município, de cuja concepção está fincada na fiscalização de festas, bares e restaurantes, como modo de evitar ocorrências de consumo de álcool e drogas por crianças e adolescentes.
Para tanto, com a mobilização de diversas outras entidades como CONSEG, Secretaria de Educação, Diretores de Escolas, Igrejas, Secretaria de Ação Social, Conselho Tutelar, CRAS e CREAS, e conjugação de ideias, se visualizou  que fossem traçadas ações preventivas de proteção à infância e juventude contra consumo de álcool e drogas, mas também, exploração sexual e do trabalho, além da negligência dos pais e responsáveis que deixam seus filhos à mercê de diversos tipos de violências.
Ao final da reunião, em vista do objetivo proposto, algumas dentre outras linhas de ação efetivas foram delineadas, como maior mobilização por campanhas de sensibilização nos diversos meios de comunicação em massa e nas escolas; a realização de palestras na rede escolar e comunidades, que envolvessem os pais de alunos sobre o seu papel e responsabilidade na proteção do seu filho;  dar amplitude e envolvimento de outros necessários e importantes segmentos sociais de Curaçá, por alcançar e punir civil e penalmente os promotores eventos, donos de bares e pais negligentes que concorrem a favor da violação de direitos infanto-juvenis.
Durante o encontro, o Maj QOPM Roberto aproveitou para socializar e divulgar além dos telefones funcionais, um habilitado para *Wat-Zap*, ligando a comunidade diretamente aos serviços de informações da OPM, qual seja, *74-99974-1181*, ressaltando a importância de mais esse canal de comunicação, para o recebimento de sugestões ao aperfeiçoamento da ação policial e denúncias de crimes de qualquer natureza, inclusive de localização de foragidos, sendo assegurado o total sigilo da fonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *