Prefeito Olimpio emite nota em resposta a Jorge Lobo

AO IRRESPONSÁVEL E MENTIROSO ROSA! Como sempre, através de mentiras e de forma irresponsável, o ex-gestor publica mensagens na rede social, sem qualquer fundamento plausível, tentando denegrir a minha imagem, enquanto gestor de Uauá. Em primeiro plano, cabe-me esclarecer, vez que ele não sabe (mesmo tendo sido gestor público por duas vezes), da diferença entre […]

AO IRRESPONSÁVEL E MENTIROSO ROSA!

Como sempre, através de mentiras e de forma irresponsável, o ex-gestor publica mensagens na rede social, sem qualquer fundamento plausível, tentando denegrir a minha imagem, enquanto gestor de Uauá.
Em primeiro plano, cabe-me esclarecer, vez que ele não sabe (mesmo tendo sido gestor público por duas vezes), da diferença entre CESSÃO e DOAÇÃO.
Na DOAÇÃO, o bem público tem a propriedade transferida ao particular tornando-se este proprietário do imóvel construído, podendo utilizá-lo a seu bel prazer, o que necessita da autorização legislativa. Na CESSÃO, o particular não tem a propriedade do imóvel público, mas apenas este lhe foi cedido por determinado período de tempo, para exploração comercial ou outra acordada em termo de concessão, sem que a construção realizada se dê com qualquer ônus para o município, sendo certo que ao final do tempo de uso, o imóvel se incorporará ao patrimônio público (construção), o que, para tanto, não há necessidade de autorização legislativa.
Tais condições ocorreram com o imóvel de Zé Maurício, Maria Augusta, os quiosques na Avenida João Borges de Sá e Pedro Ribeiro, Quiosque de Paulinho na Lagoa do Pires, Quiosque do Galego no Poço do Vieira, dentre outros.
Vejam os senhores que, ainda de forma irresponsável, diz o indigitado senhor, que a “DOAÇÃO” estaria sendo feita a “cabo eleitoral”, quando, é certo que este foi o único a propor ao Município de Uauá, requerimento de concessão de uso, para construção de comércio sobre o nível superior do mercado popular, localizado na praça Adhemar Rodrigues, querendo fazer crer a população, que tal ato foi político.
Ora senhores, ao contrário do “mentiroso”, não tem este gestor a prática da “politicagem”, como subterfúgio para seus atos. Procuro atender as solicitações de todos, sem impor empecilhos, mesmo nos casos de adversários políticos. Tais condições, poderão verificar com o encaminhamento de pedido de doação de terrenos do Parque Industrial, nos quais, existem como beneficiários, “cabos eleitorais” do “mentiroso irresponsável”.
Fale este, de crime de responsabilidade, talvez por estar tão acostumado a responde-los perante a Policia Federal e ao Ministério Público Federal, que esquece de diferenciar crime com ato discricionário do poder público, onde se faz desnecessário a autorização legislativa.
Crimes de responsabilidade o “mentiroso irresponsável” responde perante a Justiça Estadual e Federal. Inclusive deve restituir ao município de Uauá, por “desvios”, de cerca de R$ 700.000,00, bem como, ao pagamento de multa imposta pelo TCM/BA, no importe de cerca de R$ 300.000,00, o que totaliza valor próximo a R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais).
Ainda, não posso deixar de lembrar, – mesmo porque as comunidades de Lagoa do Pires, São Paulo e outras, passaram por dificuldades de trânsito diante das últimas chuvas -, o desvio de R$ 1.500.000,00 (um milhão e meio de reais), destinados a pavimentação em cascalho da estrada vicinal que liga Uauá ao Povoado de São Paulo, onde não se cumpriu o objeto e o dinheiro “sumiu”, aí sim, de forma IRRESPONSÁVEL.
Reafirmo aos Senhores não ser candidato a reeleição, e, diante da ausência de pretensão política, torna-se injustificado querer beneficiar a quem quer que seja, em detrimento do bem público, mesmo porque, não é da minha índole, contrariar o direito público e a verdadeira justiça.

Olimpio Cardoso Filho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha Captcha Reload