Apuração do carnaval de SP é marcada por brigas e muita confusão

Império de Casa Verde, a campeã do grupo especial do carnaval paulista, mostrou na avenida os mistérios que intrigam a humanidade. FACEBOOK  A festa na Império de Casa Verde, campeã do carnaval de São Paulo, é grande, mas até o resultado final, foram vários momentos de ansiedade. E teve muita confusão. A mesma apuração de sempre […]

Império de Casa Verde, a campeã do grupo especial do carnaval paulista, mostrou na avenida os mistérios que intrigam a humanidade.

 A festa na Império de Casa Verde, campeã do carnaval de São Paulo, é grande, mas até o resultado final, foram vários momentos de ansiedade. E teve muita confusão.
A mesma apuração de sempre num lugar novo. Um temporal daqueles bem paulistanos acabou com o teto do camarote onde todo ano as notas são lidas e dessa vez isso teve que ser feito num outro lugar perto do Sambódromo.


Tudo ia bem, mas hora da leitura das notas de evolução, começou uma confusão. Os integrantes da escola de samba Vila Maria ficaram bastante exaltados por conta das notas de evolução e começou um tumulto muito grande. Eles questionaram as notas, justamente foi o quesito mais complicado, o que quesito mais rígido. E houve confronto.
Quando parecia que tudo estava começando a se acalmar, mais confusão. O jurado Jorge Martins não deu nota para Império de Casa Verde.


Neste caso, o regulamento manda que a escola ganhe a maior nota dada por outros jurados. Foi o que aconteceu. Como um outro jurado deu 10, a Império ganhou mais um 10. Foi aí que integrantes de outras escolas se revoltaram novamente.
O delegado de polícia teve que intervir e pedir para integrantes da Vila Maria para eles ficarem sentados.

A leitura das notas continuou. A Mocidade Alegre ficou na frente praticamente a metade da apuração. Quando as notas da bateria foram lidas, a Império de Casa Verde assumiu o primeiro lugar. Ganhou 10 unânime em harmonia. E foi nesse quesito que a confusão recomeçou.


Mais uma nota não foi atribuída, dessa vez uma nota da Dragões da Real. integrantes da X-9 e da Vila Maria mais uma vez se revoltaram e começou mais um tumulto e a situação ficou bastante tensa na apuração.


Alguns integrantes de escolas foram levados para longe da área de apuração. A confusão foi muito grande e os seguranças estavam muito exaltados. Policiais imobilizaram um integrante da Vila Maria. O segurança Marcio, da Vila Maria, foi levado pela polícia.


“Ele tá toda hora perturbando, toda hora ameaçando pular, o policial pra ele falou: fica calmo, se acalma, fica lá, ele pegou e agrediu o policial. Por quê? Tem polícia e vai ser preso, porque a polícia não veio aqui pra apanhar, veio só pra colaborar”, conta o delegado Osvaldo Nico Gonçalves.

A presidente da Mocidade Alegre, Solange Bichara, lamentou as cenas que foram vistas durante a apuração: “Isso é uma vergonha pro carnaval de São Paulo. É horrível.”


A leitura das notas foi retomada mais uma vez. A Império de Casa Verde continuou em primeiro lugar no quesito comissão de frente e na última nota, a de fantasia, foi consagrada campeã do carnaval de 2016 de São Paulo.
A Império de Casa Verde levou para a avenida os mistérios que intrigam as civilizações até hoje.
Os carros gigantescos e as alas com fantasias luxuosas falaram sobre as nossas grandes dúvidas: como o mundo foi criado, a vida fora da terra, o que acontece depois da morte?
A Império desfilou com 2.800 componentes distribuídos por 19 alas.
A escola tem apenas 22 anos de existência. Já havia sido campeã em 2005 e 2006. Depois de 10 anos, chegou ao tricampeonato com um desfile majestoso e empolgante, que em nada lembra o que se viu na apuração na tarde desta terça-feira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *