Mulher foi chamada pelo SUS para fazer uma consulta após 11 anos de sua morte.

Uma família do município de Alvorada, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RS), ficou indignada após o recebimento de uma correspondência, em dezembro de 2015, que indicava a marcação de uma consulta pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O problema é que a paciente, identificada como Dona Zilá, havia morrido há 11 anos. “Fiquei chateada, […]

Uma família do município de Alvorada, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RS), ficou indignada após o recebimento de uma correspondência, em dezembro de 2015, que indicava a marcação de uma consulta pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O problema é que a paciente, identificada como Dona Zilá, havia morrido há 11 anos. “Fiquei chateada, porque uma coisa assim eu jamais esperava que fosse vir, porque foi 11 anos depois que ela faleceu”, afirmou a filha de Zilá, Erni Almeida, em entrevista à Rede Globo. De acordo com ela, sua mãe tinha dificuldade para caminhar e aguardou a consulta do especialista nos dois últimos anos de vida. “Ela precisava de um reumato. Uma consulta que de repente podia ter evitado tanta coisa”, lamentou.

A prefeitura do município informou que a ficha da paciente foi encontrada em 2013, junto a outros 30 mil pedidos de consultas que estavam fora do sistema informatizado. “Essa senhora se incluía nesse grupo de pessoas, então talvez possam até surgir mais casos assim. Por isso a gente está fazendo o chamamento”, disse o diretor da Secretaria de Saúde, Carlos Souza. Na tentativa de evitar o aumento da fila de espera, os pacientes tem sido chamados a partir de agora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Captcha Captcha Reload