Funções em uma rádio

Embora as rádio comunitária, de um modo geral, sejam geridas com muito sacrifício e
dedicação de voluntários, nem tudo precisa ser feito sozinho, de modo isolado. Existem
funções que podem ser divididas na realização de um programa. Há um aspecto muito
positivo nisso, pois permite a integração e aproximação de participantes, estimulando
o trabalho coletivo. Além disso, pode ser uma forma de facilitar a vida dos envolvidos e
qualificar o programa, pois o trabalho fica dividido, tem mais cabeças para pensar e experiências
para compartilhar. As funções mais comuns no exercício da radiodifusão são:
• Produtor: é aquele que prepara o programa para ser apresentado. Faz a pesquisa
e monta o texto, seleciona as músicas, marca as entrevistas e confirma
tudo para ver se na hora vai dar tudo certo;
• Apresentador ou Locutor: é o que fala no microfone, lê o texto, improvisa, e
faz comentários;
• Repórter: é o que sai para coletar as informações, investigando através de
entrevistas e pesquisa;
• Técnico de som ou operador: é o responsável pela operação dos equipamentos
no estúdio, descritos anteriormente.
16 Para saber mais, ver os livros Comunicação nos movimentos populares: a participação na construção
da cidadania, de Cicilia Peruzzo (p. 142-158) e No ar… uma rádio comunitária de Denise Maria
Cogo (p. 135-148).
Acontece que muitas vezes uma só pessoa faz tudo isso nas rádios comunitárias
devido à escassez de voluntários para ajudar. O mais importante é que cada etapa da
construção do programa seja planejada, para que a qualidade seja a melhor possível.
É importante pelo menos fazer a pesquisa e o roteiro, conforme vamos aprender
mais adiante. Caso for possível e viável financeiramente, seria muito interessante a
rádio contratar profissionais que pudessem dedicar-se às tarefas mais técnicas. Isso
propiciaria mais tempo e disposição para a comunidade protagonizar a comunicação,
através da criação e participação nos programas. Mas duas restrições devem ser observadas
neste sentido. Estes profissionais devem ser preferencialmente contratados
entre os moradores da comunidade, privilegiando a geração de renda junto à área de
transmissão da rádio e estimulando a busca por formação adequada. Além disso,
esta proximidade é muito importante para garantir a familiarização com os assuntos
da comunidade. E este procedimento também prestigiaria as categorias da área de
comunicação, abrindo caminhos para um novo nicho de mercado para este tipo de
profissional, quase sempre recrutado pela grande indústria da comunicação. Uma
segunda restrição diz respeito ao papel destes profissionais na rádio comunitária,
que deve ser estritamente técnico, como um funcionário da emissora. É preciso ficar
sempre atento ao fato de que a gestão da rádio deve ser exercida coletivamente, de
modo a evitar um encastelamento tecnocrático por parte destes. Como morador da
região, este profissional pode participar das decisões, mas jamais pode reivindicar
privilégios em função do seu posto.
Exercício 1
Escolha duas funções dentre as apresentadas, às quais você gostaria de realizar na
sua rádio. Exponha sua resposta para a turma e justifique o porquê da escolha.

Adailton Santana

RADIALISTA Formação Locutor-Apresentador- Radialista profissional diplomado pela Residência Educação, em parceria com o MEC, no âmbito do PRONATEC - Alagõas, é experiente na área de Comunicação e Segmentação Editorial em sites, blogs, Tem experiencia em Apresentação de Cerimoniais. Concluiu o Curso de Especialização em Locutor-Apresentador, realizado pela Residência Educação, em parceria com o MEC em 2018 e obteve a certificação de um trabalho que já faz desde o ano de 2003, quando ingressou no Rádio. Com a realização de curso de capacitação ministrado pelo Imega Cursos e Entretenimento, em 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Captcha Captcha Reload